Hotéis em Portugal receberam 19.1 milhões de hóspedes em 2016

Hotéis em Portugal recebem 9.8% mais de clientes em 2016Em 2016 os hotéis em Portugal registaram 19.1 milhões de hóspedes que efectuaram estadias correspondentes a 53.5 milhões de noites, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística. Estes dados correspondem a uma subida de 9.8% e 9.6% respectivamente, acima dos 8.1% e 6.5% e que representou 17.4 milhões de clientes no ano de 2015.

Quem dorme mais nos hotéis portugueses

Por segmentos, os residentes em Portugal efectuaram 15.2 milhões de noites (+5.2%) e os turistas oriundos de países estrangeiros fizeram 38.3 milhões (+11.4%). Os hóspedes não residentes representaram 71.5% das dormidas totais em 2016, aumentando a sua quota relativamente a 2015 quando significavam 70.4%.

Isto quer dizer que os hotéis em território nacional estão cada vez mais ocupados por estrangeiros que são eles o grande motor deste crescimento acentuado. Em 2016 houve um aumento de 13% de turistas internacionais em Portugal segundo os dados disponibilizados pela European Travel Commission (ETC).

O Reino Unido continua a ser o principal cliente estrangeiro das unidades hoteleiras instaladas em Portugal com uma quota de 23.9%, tendo aumentado em número de dormidas 9.8%, seguido dos espanhóis e alemães. No entanto quem aumentou mais em percentagem foram os norte-americanos (+20.8%), polacos (+20.1%) e franceses (+18%).

As regiões de Portugal com o maior aumento de dormidas

O número de dormidas aumentaram em todas as regiões de Portugal, com os Açores a destacarem-se com uma subida de de 21.1%, a região Norte com +12.8% e Alentejo com +10.8%.

As 3 principais regiões turísticas portuguesas conseguiram aumentos de 9% no Algarve, 7.2% na Área Metropolitana de Lisboa e 9.8% na Madeira (+6,2% em 2015). O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) atingiu 42.6 euros, subindo 13.4%, o mesmo aumento do que em 2015.

Estadia média continua a diminuir em 2016

A estadia média foi 2.81 noites por hóspede, apresentado uma ligeira redução de 0.2%, acompanhando as variações negativas de -1.5% em 2015 e -1.2% em 2014. Isto significa que o crescimento turístico está a fazer-se essencialmente à conta de escapadinhas de curta duração provavelmente nos centros urbanos de Lisboa e Porto que têm assistido a um grande boom de turistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.